Sarmento, Fátima Morais

From Wikipédia de Autores Algarvios
Jump to: navigation, search

File:Fatimafreitasmoraissarmento.jpg

  • Fátima Freitas Morais Sarmento

Aveiro.
Professora. Escritora.
Atualmente (2020) é professora de Português no Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira, em Faro.


  • Excerto de "Memórias do Olhar e do Sentir", página 9

"A estrada fugia aos seus pés, o carro parecia voar com pressa de chegar ao seu destino. A velocidade do seu dia-a-dia continuava a comandá-lo mesmo quando se deslocava ao seu último refúgio para descansar da vida apressada que vivera anos a fio. O médico fizera-lhe um ultimato, dera-lhe poucas alternativas, por isso, Gabriel só pensava em voltar às suas origens, à casa dos avós maternos na Trofa. Fora lá que vivera toda a sua infância, a sua adolescência e sonhara com imensas coisas que nunca chegaram a acontecer. Ali estava ele, só e solitário, a necessitar de parar para que o seu pobre, mas grande coração, tivesse um pouco de paz e trabalhasse a um ritmo mais lento.
Enquanto isso, o mundo tinha andado suspenso com a Guerra do Iraque, com as manifestações de contestação à guerra que se fizeram ouvir por todo o lado e com a opinião pública que tinha ganho importância política. Os argumentos a favor e contra tinham sido imensos, mas alguns dos prognósticos não se tinham verificado. O dia nove de Abril era o dia de todas as emoções, ele também travava a sua guerra pessoal, interior, sentindo apreensão, angústia, medo, expectativa e incertezas."

Imagens de "Conversas com a Escritora" na Biblioteca da Escola Secundária de Tomás Cabreira

File:Fatima-na-bestc1.jpg
File:Fatima-na-bestc2.jpg


  • Breve Biografia:
"Nasceu em Aveiro, viveu a adolescência e parte da idade adulta em Lisboa. Licenciou-se na Universidade Nova de Lisboa em Línguas e Literaturas Modernas - Estudos Portugueses e leciona a disciplina de Português no Ensino Secundário. A escrita foi sempre uma grande paixão e aos 13 anos já confidenciava ao papel as suas maiores inquietações e memórias. Desde cedo que tentava perceber o porquê das coisas, sentindo-se sempre atraída pelo que lhe era estranho e longínquo. Busca, incessantemente, o sentido da vida e tenta ligar entre si as várias experiências que vai vivenciando. Sente-se impelida a estudar e a conhecer assunto de cariz filosófico e místico." in wook.pt (ver links abaixo).


  • Bibliografia de Fátima Freitas Morais Sarmento (também Maria Mattos):

- Memórias do Olhar e do Sentir (de Maria Mattos), 2005.
- Amores Quase Perfeitos (de Fátima Freitas), 2014.
- Cartas, 2014 - Colectânea de vários autores.
- Confissões, 2014 - Colectânea de vários autores.

104px 100px 102px 101px


  • Veja mais sobre Fátima Freitas nos seguintes links:

- "Memórias do Olhar e do Sentir", na wook.pt.

- "Amores Quase Perfeitos", na wook.pt.

- "Cartas" na luademarfim.pt.

- "Confissões" na luademarfim.pt.

  • in https://arquivo.pt

- 2005 - Notícia na editorialminerva.com com o convite para a apresentação do livro "Memórias do Olhar e do Sentir", no Palácio Galveias - Biblioteca Municipal Central em Lisboa, no dia 14 de maio de 2005 e com "Coordenação da sessão e breve reflexão sobre a obra pelo animador-cultural Ângelo Rodrigues. Apresentação da obra e autora pelo escritor e “animador de ideias” Júlio Roberto. Selecção e leitura de um pequeno excerto da obra pelo mestre em História da Qualidade de Vida e da Boémia Contemporânea von Trina. Performance musical por Bruno Barradas e Carla Vitorino (guitarra e canto)".

- 2007 - Artigo sobre o livro "Memórias do Olhar e do Sentir" no site artjornal.no.sapo.pt.

- 2014 - Notícia sobre o lançamento do romance "Amores quase Perfeitos" em Lisboa, com apresentação de Ana Mendes da Silva.

- 2014 - Notícia sobre o lançamento da colectânea "Cartas" em Lisboa.

- 2015 - Notícia sobre o lançamento da colectânea "Confissões" em Lisboa.