Leal, João

From Wikipédia de Autores Algarvios
Jump to: navigation, search

Centenário da Casa de Sta.Isabel- Faro, 2019

  • João Leal

Nasceu em Faro, em 1937
Professor
Fundador da RTA e assessor do Governo Civil
Jornalista ( Folha de Domingo, Jornal do Algarve...)
Colaborador no blogue "Os Costeletas"

  • Breve biografia
João Francisco Manjua Leal, decano dos jornalistas algarvios, professor e jornalista com fortes ligações ao turismo, cultura e desporto da nossa região. Sempre engrandeceu e continua a engrandecer o Algarve e o País, em todas as suas vertentes cá e no estrangeiro, com independência e isenção.
  • Professor Américo, um centenário que se avizinha, Crónica de João Leal

Se vivo fosse e era-o bom para as sucessivas gerações dos «seus meninos» que o recordam com uma profunda saudade e a mais comprovada gratidão, o sempre lembrado Professor Américo José Nunes da Costa, completaria cem anos no próximo dia 4 de Maio (3ª feira).
E é uma efeméride de grande significado não apenas para o vasto universo dos seus milhares de alunos que o foram, entre os quais conhecidas figuras, em várias áreas da vida nacional, como dos muitos amigos que por aqui e por onde passou deixou.
Natural de Lisboa, licenciado no antigo INEF (Instituto Nacional de Educação Física, atual Faculdade de Motricidade, veio para Faro no ano letivo de 1947/48 para exercer a sua função pedagógica na então criada Escola Técnica Elementar Serpa Pinto e, após a extinção desta, na Escola Industrial e Comercial Tomás Cabreira. Regressou à capital em meados da década de 50 do século passado, exercendo importantes funções na estrutura oficial do ensino.
O Professor Américo, como foi sempre chamado e continua a ser referido, era potencialmente um mestre da Escola Nova, criando inovação pedagógica e didática a par da disciplina auto - assumida pelos alunos, um sentimento de estima e de confiança, como se fosse um irmão mais velho ou um outro pai.
De entre os seus antigos alunos queremos aqui referir um trio de «costeletas» (alunos da Escola Tomás Cabreira) que marcam destaque em três áreas. Na política, governação e «res pública» Cavaco Silva (antigo Presidente da República, Chefe do Governo e Ministro). Na literatura e jornalismo Mário Zambujal e no desporto Manuel João Poeira (internacional júnior com os saudosos, também olhanenses, Nuno Agostinho e João Parra, quando o Professor nos lecionava educação física).
Não antevemos e poucos, com segurança, o podem fazer, como será a nossa vida comunitária até ao início de Maio. Mas no dia 4 ou em qualquer outra data futura os 100 anos do saudoso Mestre têm que ser assinalados!

Esta Crónica de João Leal, decano dos jornalistas algarvios, foi divulgada no facebook da AAAETC (Associação dos Antigos Alunos da Escola Tomás Cabreira) por Florêncio Pereira Vargues, presidente da direção da AAAETC, a 17 de março de 2021.


  • Texto de João Leal retirado do Jornal do Algarve: "Tão perto e tão distantes"

"Mais do que uma barreira natural separatista, o Guadiana (que o sempre lembrado José Barão nos legou esse gesto tão prenhe de significado de percorrer desde o seu nascimento num aprazível local a 1700 metros na Lagoa da Ruidera, na província espanhola de Alicante até à foz, na Terra Mãe da pombalina Vila Real de Santo António) tem que constituir, mormente nestes tempos de crise global, o “Rio Jordão” de uma cooperação multirregional e de lançamento de iniciativas e realizações que possam ter impacto à escala universal, como sucedeu nos séculos XV e XVI.
Vem isto a propósito do desconhecimento existente entre os povos vizinhos e amigos, algarvios e andaluzes, por vezes unidos por secular laços familiares e tantos outros e que a Ponte Internacional, com tantos anos de atraso, veio concretizar no seu betão e na funcionalidade, desde o ano de 1992, aquando da Exposição Universal de Sevilha, na assinalada comemoração do V Centenário do Descobrimento das Américas.


  • Bibliografia


- 2000 - Etnografias Portuguesas (1870-1970) Cultura e Identidade Nacional, Lisboa, Colecção Portugal de Perto, Publicações Dom Quixote.

- 2020 -Faro terra mãe 1º Volume, Faro, Edição das Freguesias de Faro - Sé e São Pedro.


  • Artigos de João Leal na imprensa sobre personalidades algarvias:


- 2010 -- Tão perto e tão distantes -Jornaldoalgarve.pt 2010 - texto acima reproduzido sobre a pouca cooperação existente entre o Algarve e a Andaluzia.

- 2011 -Aquele abraço para ti Marcelino! - Jornaldoalgarve.pt 2011 -texto de homenagem e solidariedade ao seu colega jornalista Marcelino Viegas.

- 2011 -Três algarvios nos Açores - jornaldoalgarve.pt 2011 - A imprensa algarvia com Casimiro de Brito, José Maria da Piedade Barros e José Salvador Santos.

- 2011 -- “Vende-se?” E a memória que nos honra? - jornaldoalgarve.pt|sobre Francisco Fernandes Lopes e a venda da sua casa. Neste artigo João Leal refere que Almada Negreiros, em 1924, afirmou a propósito do Dr. Francisco Fernandes Lopes que “Ele está, para mim, no meio da primeira fila dos que estão à frente disto tudo”.

- 2011 -- Entrevista Jornalista João Leal - tvalgarve.pt 2011 - Vitor Gonçalves entrevista o jornalista João Manjua Leal, onde este fala da sua vida profissional.

-2014 - No blogue smsjornaldoalgarve Carlos Albino,numa nota do artigo sobre os caminhos de ferro, afirma sobre João Leal:

  • "Flagrante abraço: Foi feita uma homenagem (16 de maio de 2014)a João Leal pelos seus anos de escrita. Por razões imperiosas não estive lá. Se lá tivesse estado, diria: “Aqui está um homem que raramente escreveu sobre si próprio, escreveu sempre sobre os outros, e, para ele, o Algarve não foi nem é um outro qualquer, é ele próprio entregando-se-lhe na escrita”. Tenho dito porque sou testemunha desse amor à terra."

- 2014 -site onde se refere a organização da homenagem a João Leal.

- 2016 -Casimiro de Brito, o percursor - jornaldoalgarve.pt 2016 a propósito da homenagem a Casimiro de Brito, no âmbito da edição primeira do “FLIQ” -Festival Literário de Querença.

- 2019- Jornalista João Leal lembrou que a Casa de Santa Isabel foi precursora na beneficência.

- 2019- João Leal evocou a primeira visita pastoral de D. Marcelino Franco, sagrado a 18 de julho de 1920, durante a qual “destinou ao asilo 25 escudos” e a “grande festa” de 1929 em que foi apresentado o “Hino do Asilo”, com letra de Maria da Piedade Elói, que foi diretora do jornal "A Avezinha", e música de José António Pinheiro e Rosa, então seminarista.

- 2019- - Gala do CNID homenageou jornalistas e desportistas em Portimão - Sulinformação.pt - A 27 de Maio de 2019, a Associação dos Jornalistas de Desporto, realizada em Portimão homenageou os jornalistas algarvios Armando Alves, Edite Esteves, João José Pedro, João Manjua Leal, Hélio Nascimento, Luís Livramento e Neto Gomes.Nessa mesma gala Francisco Zambujal, antigo professor e caricaturista desportivo, foi recordado através da exposição de 42 divertidos trabalhos de temática desportiva, publicados no jornal “A Bola” ao longo de 27 anos e contou com a presença do seu irmão, Mário Zambujal.


  • "PROJECTO JOÃO LEAL"

Proposta do Associado Costeleta Jorge Tavares, lida no almoço dos Costeletas no Natal 2016

  • Estimados, amigas e amigos Costeletas

»Não tenho vocação para oratórias muito desenvolvidas, tão pouco para improvisos.
No entanto, aproveitando esta última reunião anual, organizada pela nossa Associação, para partilharmos o convívio desta época festiva e de famílias, que é o Natal, resolvi escrever uma linhas, pedindo a vossa paciência para ouvir a sua leitura, prometendo desde já, que não serei longo.
João Manjua Leal (ver foto na galeria), para a maioria dos costeletas o João Leal.
Porque o João e os seus progenitores, “vivem” nas minhas lembranças, quando os aniversários se festejavam, ainda com um algarismo, é meu dever trazer a todos vós e à Associação, uma proposta.
São sobejamente conhecidos os seus dotes na escrita, como jornalista e não só.
Igualmente são do nosso conhecimento a sua facilidade oratória, pela clareza de pensamento pela forma como articula os assuntos.
Todavia, não será do conhecimento generalizado a imensa sabedoria do João, no que respeita à cidade de Faro, e à sua história recente.
O João é um profundo conhecedor da nossa cidade, nomeadamente no período que decorre dos finais da década de quarenta, até aos nossos dias: Os bairros, a toponímia, as instituições, a arquitetura, o comércio, a indústria, a pesca, a agricultura, as igrejas, os divertimentos, as coletividades, os eventos, as artes, o desporto, os bancos, etc...
Os seus conhecimentos transcendem estas lembranças, quando falamos das “gentes” de Faro. O João é uma memória viva da cidade. Conhecedor - atrevo-me a afirmar - da grande totalidade dos habitantes da cidade nos anos cinquenta e sessenta.
Das classes mais abastadas ao mais humilde cidadão o João é capaz de narrar factos, uns mais importantes que outros - naturalmente - mas todos enriquecedores da história da nossa cidade.
Não podemos, nem devemos perder este património.
A nossa Associação e todos nós individualmente, devemos pugnar para que a Vereação da Cultura do Município de Faro patrocine o João, para que possa deixar em livro, esta riqueza cultural sobre a nossa cidade.
Aos costeletas dirigentes da Associação e a todos os presentes direi que seria um excelente legado e um contributo valiosíssimo que deixaria aos futuros Costeletas, à cidade e à História.
Pela minha parte deixo desde já a minha incondicional disponibilidade para participar nas diligências necessárias para que este Projeto se possa tornar uma realidade.
Para terminar, desejo a todos os presentes e respetivas famílias, umas Boas Festas e os votos de um frutuoso ano de 2017«

NOTA DA REDACÇÃO: A proposta foi bem recebida pelos elementos da Direção que, depois dos festejos natalícios, prometem fazer as diligências necessárias para avançar com o "Projecto João Leal" junto das Instâncias Municipais competentes.
Roger