Carriço, António da Silva

From Wikipédia de Autores Algarvios
Jump to: navigation, search

Carriço.jpg

  • António da Silva Carriço

Monchique, 1930 - Lisboa, 21/11/2019 em

  • Destaque Biográfico
Jornalista. Cronista. Escritor. Bibliotecário.


António da Silva Carriço fez o Curso Geral dos Liceus em Lisboa onde trabalhou nos Serviços de Estudo do Instituto Nacional de Estatística.
Em Monchique foi funcionário da Câmara Municipal, responsável pela Biblioteca da Fundação Calouste Gulbenkian durante trinta e dois anos e depois da Biblioteca Municipal de Monchique.
A Câmara Municipal de Monchique, em 2004, deu o seu nome à Biblioteca Municipal passando a ser apelidada de Biblioteca Municipal António da Silva Carriço, atendendo ao seu contributo e ao facto de ser uma «figura proeminente na vida cultural do concelho de Monchique»
Foi correspondente do «Jornal Novidades», do «O Século», do Diário de Lisboa»e cronista e redator do Jornal de Monchique e membro da Associação de Jornalistas e Escritores do Algarve.
Foi membro diretivo e fundador da Academia de Heráldica do Algarve e está referenciado no Dicionário Cronológico de Autores Portugueses.

  • Excerto retirado do Facebook de António Manuel Venda, de 28 de novembro de 2019, aquando do falecimento de Antónia Silva Carriço. António Manuel Venda transcreve o texto de suporte à apresentação do seu livro Os Sonhos e Outras Perigosas Embirrações, por António Carriço no dia 14 de Dezembro de 2000, no auditório da Caixa Agrícola, em Monchique e que pode ser lido na íntegra no link abaixo:

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=10218068588999917&id=1042766737&sfnsn=mo

  • Uma leitura d` Os Sonhos... do António Manuel Venda

"O mais recente livro do António Manuel Venda tem por título Os Sonhos e Outras Perigosas Embirrações.
Os críticos literários têm-se debruçado atentamente sobre a sua escrita, e o jovem escritor (32 anos – 5 obras publicadas) tem vindo a alcançar um merecido êxito.
Porque muito já se disse, e sem a mínima pretensão a crítico, quero apenas usar do direito que me assiste de dar a minha opinião sobre o livro em causa. Por dois motivos: primeiro, pelo prazer que me dá partilhar, discutir até (se possível) as emoções da leitura; segundo, pela quase obrigação que se impõe de alguém de Monchique dar o seu parecer, dizendo de si, acerca de um escritor de Monchique. Estas duas razões bastam para agradecer-lhe o empenho que tem manifestado em levar o nome da nossa terra a muita gente que desconhece a sua existência. Empenho conseguido plenamente, pois os seus livros têm tornado Monchique num lugar mágico."


  • Bibliografia:

- Memória das Coisas, crónicas, 1995
- O Sabor da Vida. crónicas, 1997
- Retrato da Paisagem Enquanto Gente, crónicas, 2005
- Oito crónicas suas são incluídas na antologia Escritores Portugueses do Algarve, organizada por Ilena Gonçalves, 2006
- Zé Ventura - As Cores do Tempo António Silva Carriço e Ze Ventura .2007
- António Maria Callapez – um olhar a Sul, livro-catálogo organizado por Ana Rosário Nunes, com o texto Uma Abertura de Alma de António Silva Carriço, 2008
- Reflexos com 13 contos de Natal, editado pelas Paulinas, 2014
LivrosCarrico.JPG

  • Prémios Literários

Em 1982 foi galardoado com uma Menção Honrosa, na modalidade «Poesia Lírica» nos Jogos Florais do Algarve, promovidos pelo Racal Clube de Silves.

Em 1990 voltou a ser galardoado com uma Menção Honrosa, na modalidade «Conto» nos Jogos Florais do Algarve, promovidos pelo Racal Clube de Silves.

Em 1996 é-lhe atribuído o 2.º Prémio de Comunicação Social, a nível nacional, da Região de Turismo do Algarve, pelo artigo «O Prazer da Diferença».

Em 1997 o Clube de Jornalistas de Braga distingue-o com o Prémio Especial Verde Minho (prémio único) patrocinado por aquela Região de Turismo, com o trabalho «O Irresistível Fascínio do Verde», publicado no Jornal de Monchique.

Em 1998, a convite da Associação de Professores de Português, participa no 1.º Encontro Regional de Professores de Português com Escritores Algarvios e publica o trabalho «Sabina na Casa de Espelhos» no n.º 1 da Revista Stilus.

Em 2002 ganha o 1.º Prémio Manuel Teixeira Gomes, instituído pela Câmara Municipal de Portimão com o patrocínio da Delegação Regional da Cultura do Algarve, atribuído ao conto Entre o Corpo e a Rosa, seu primeiro trabalho de ficção.

A Câmara Municipal de Monchique, em 2004, deu o seu nome à Biblioteca Municipal passando a ser apelidada de Biblioteca Municipal António da Silva Carriço, atendendo ao seu contributo e ao facto de ser uma «figura proeminente na vida cultural do concelho de Monchique»

Foi Comissário das exposições de artes plásticas da pintora Zé Ventura, apoiadas por «Faro Capital Nacional da Cultura» e pelo Município de Monchique, e é autor do texto do livro Zé Ventura – As Cores do Tempo, premiado em 2007 no London Book Festival.

  • Veja mais sobre António Silva Carriço nos seguintes links:

- Notícia do falecimento de António da Silva Carriço em 21 de novembro de 2019 com um texto de Vilhena Mesquita sobre o autor.